PRIMEIROS ANOS

Nascido em 29 de outubro de 1960, José Humberto Soares é o primeiro dos sete (7) filhos de José Soares Filho e Maria José Ferreira Soares. Por parte de pai, sua ascendência integra ramos das famílias Soares, Machado e Brandão, originárias da região de Brejo Bonito, que à época pertencia ao município de Patrocínio, e hoje é distrito de Cruzeiro da Fortaleza. São seus irmãos, por ordem cronológica, Mariângela Soares Ferreira, Rita de Cássia Soares, Luiz Carlos Soares, Eduardo Soares Ferreira, Flávio Soares Ferreira, e Ana Paula Soares.

À época de seu nascimento, a família morava em São Gonçalo do Abaeté, onde seu pai era comerciante lojista, e seu avô José Soares Machado era farmacêutico e político, tendo sido Vereador, Presidente da Câmara, e Prefeito Municipal, cargo que exerceu no período de 1966 a 1970.

Tendo vivido a sua infância em São Gonçalo do Abaeté, José Humberto nasceu em Patos de Minas, na Maternidade Nossa Senhora de Fátima, razão pela qual consta em seu registro de nascimento a sua naturalidade patense. No final do ano de 1970 seu pai seu pai se estabeleceu em Patos de Minas, abrindo a loja Casa Soares na esquina da Rua Major Gote com a Rua Olegário Maciel. Em junho de 1971 toda a família se transferiu para Patos, aí se enraizando definitivamente.

Em São Gonçalo do Abaeté, José Humberto teve uma infância sadia e feliz, típica das crianças nascidas nas pequenas cidades do interior mineiro da época, com liberdade, brincadeiras de rua, e o exemplo de trabalho e princípios que sempre lhe proporcionou seus familiares. Uma família simples, mas bem estruturada. Os primeiros anos de escola foram passados no antigo Grupo Escolar Professor Martinho Matos, hoje, Escola Estadual Professor Martinho Matos. Os jovens de sua geração foram os últimos a se submeterem à Admissão ao Ginásio, espécie de prova de seleção adotada na época para aqueles que pretendiam continuar os estudos. E foi através dela que José Humberto pôde cursar os seis meses iniciais da primeira série ginasial, no Ginásio Zico Mendonça, antes da família se transferir para Patos de Minas.

A chegada da família em Patos coincidiu com a inauguração da Escola Estadual Polivalente, hoje Escola Estadual Professora Elza Carneiro Franco. Foi uma grande oportunidade para o garoto, que acabou ingressando na primeira turma da escola, que foi muito importante em sua formação, e onde concluiu seus estudos em primeiro grau.

Em 1976, matriculou-se no Colégio Marista, à época sob a responsabilidade da Mitra Diocesana, para o curso de Auxiliar Técnico de Laboratório Médicos, finalizado no final do ano de 1978.

FACULDADE

Após a conclusão do ensino médio, já convicto de suas aptidões para a área das ciências exatas, foi aprovado no vestibular da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, e iniciou em 1979 sua formação universitária. Ao final de 1983, José Humberto recebeu da UFMG o seu diploma de Engenheiro Mecânico.

Durante a sua vida escolar, desde a adolescência, José Humberto foi ensinado a trabalhar. Primeiro na loja da família, e depois através de suas próprias iniciativas e oportunidades, procurava formas de “ganhar algum trocado”. Nos tempos de colégio e faculdade deu aulas particulares, e também aulas eventuais como “substituto”, incentivado pelos seus próprios professores.

Entre 1981 e 1982 José Humberto, ainda cursando Engenharia, teve o seu primeiro emprego formal, como “Caixa” da agência central do Banco de Crédito Real, em Belo Horizonte. Deixou o banco para buscar experiências na Engenharia. Foi estagiário da mineradora Vale do Rio Doce, em Itabira; e também da empresa ICE-MIG, fabricante em Contagem de equipamentos de refrigeração; durante o ano de 1983, enquanto cursava os últimos períodos acadêmicos, foi estagiário da Cia Têxtil Santa Elizabeth, indústria de tecidos pertencente ao Grupo Lundgren, em Contagem.

Seus anos de universitário coincidiram com um período de muitas turbulências políticas e econômicas, que culminaram com o fim do regime militar. Naquela época o sonho de ser Engenheiro era comum a muitos filhos da classe média, que testemunhou a execução de grandes obras de engenharia que foram realizadas neste período. Mas muitos desses sonhos acabaram se esvaindo, em meio a uma realidade de escassez de energia, de desemprego, e de escalada inflacionária. Ao se formar, no final de 1983, no auge da crise do petróleo, conseguir um emprego de Engenheiro era tarefa árdua.

INÍCIO DA CARREIRA

Seu primeiro e único emprego de Engenheiro foi numa empresa de origem indiana, a Primlaks Indústria de Oleaginosas de Uberaba, entre 1983 e 1985. A empresa havia sido constituída para recuperar uma planta industrial de produção de óleo vegetal, pertencente à massa falida da empresa Produto Ceres, inativa havia já doze anos.

Em 1985 José Humberto foi aprovado, e primeiro colocado em prova técnica realizada em processo seletivo para uma vaga de engenheiro na Cia. Vale do rio Doce. Mas não foi contratado: Escolhido para ocupar a função na Mina de Mariana, conforme lhe fora informado pelo Engenheiro-Chefe, a Superintendência da empresa, no Rio de Janeiro, utilizava como principal critério a indicação política. Desmotivado pelo acontecimento e pelas perspectivas que a carreira lhe apresentava à época, José Humberto atendeu ao convite de seu pai, e retornou a Patos de Minas para trabalhar no negócio da família, o comércio varejista, atividade que exerceu durante quinze (15) anos.

Em 1986 se casou com Silvéria Leão Barbosa Soares, que conhecera durante a sua passagem por Uberaba, e desta união colheu seus três filhos, Juliana Barbosa Soares, nascida em 1986 e hoje médica cirurgiã pediátrica, e os gêmeos Gustavo Barbosa Soares e Gabriel Barbosa Soares, ambos engenheiros civis, nascidos em 1990.

Durante o período em que atuou no comércio, José Humberto participou intensamente de entidades de classe representativas do comércio e clube de serviço, além de outras atividades sociais e recreativas em Patos de Minas.

Ocupou várias diretorias da CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas, e foi seu presidente na gestão de 1997/1999, onde teve atuação destacada. Foi Vice-Presidente da Federação das CDL’s de Minas Gerais, sediada em Belo Horizonte. Ocupou diversos cargos de diretoria no Sindicato do Comércio Varejista de Patos de Minas, tendo sido um dos pioneiros nas negociações sindicais locais. Participou da ACIPATOS – Associação Comercial de Patos de Minas como Diretor de Informática, e em 1993 foi um dos vinte (20) sócios fundadores da cooperativa de crédito Credicopa (Cooperativa de Crédito Mútuo dos Comerciantes de Patos de Minas), permanecendo como membro do Conselho de Administração da instituição até o ano de 2000, quando se desligou para tornar-se apto às eleições municipais daquele ano. Em 1999 participou do movimento de apoio à criação da Escola de Formação Gerencial do SEBRAE em Patos de Minas, e atuou como professor de Estatística para a primeira turma da escola.

Também nesse período, foi membro e diretor do Lions Clube Giovanini de Patos de Minas. Suas atividades profissionais e sua atuação na sociedade civil, além de suas características pessoais, motivaram o convite para o ingresso na política partidária.

PREFEITO DE PATOS DE MINAS

Em 1999, o líder político Arlindo Porto convidou José Humberto a integrar um grupo de jovens encarregados de contribuir para a reestruturação do PTB – Partido Trabalhista Brasileiro em Patos de Minas. E no ano de 2000, por ocasião das convenções partidárias, sete (7) partidos políticos (PTB, PSDB, PPS, PDT, PSC, PT do B, …) identificaram em José Humberto o perfil ideal a ser lançado como candidato a Prefeito de Patos de Minas pela coligação denominada Frente Ampla.

Ainda iniciante na vida política, mas com o fundamental apoio do grupo político liderado por Arlindo Porto, do qual faziam parte expressivas lideranças e ex-prefeitos, e com a adesão integral da família e dos amigos, José Humberto foi eleito pelo PTB a Prefeito Municipal de Patos de Minas nas eleições municipais de 2000, para o período de 2001 a 2004, numa campanha memorável e surpreendente.

Sua atuação como Prefeito teve um início tumultuado, com enormes desafios administrativos, financeiros e políticos, e sua pouca experiência certamente representava um obstáculo, mas José Humberto aproveitou suas convicções, experiências administrativas, e características empreendedoras para realizar uma gestão que até hoje é bastante reconhecida. Suas ações pela Saúde, pela Educação, pela atenção às crianças e adolescentes, pelo apoio às comunidades rurais, e pelo desenvolvimento econômico, ainda são lembradas.

Clique aqui e confira algumas de suas realizações, enquanto prefeito de Patos de Minas.

Em 2004, seu último ano como prefeito, exerceu também a Presidência da AMAPAR – Associação Microrregional dos Municípios do Alto Paranaíba. No exercício deste cargo, criou e iniciou dois programas de desenvolvimento econômico regional:

Programa Regional de Fruticultura, desenvolvido pela empresa Companhia de Promoção Agrícola – Campo;
Programa Regional de Turismo, com a implantação do Circuito Turístico Regional Tropeiros de Minas, com o apoio do SEBRAE e da ADESP, agência de desenvolvimento local.

Estes dois programas foram iniciados, e várias etapas foram concluídas até o final de seu mandato.

VOLTA À ATIVIDADE EMPRESARIAL

Ao fim de sua passagem pela Prefeitura, José Humberto procurou retomar as suas atividades profissionais e empresariais. Entre 2005 e 2006, se aliou a dois sócios e constituiu empresa comercial de empacotamento e venda de açúcar no atacado, mas a atividade não se mostrou viável.

Mas como ex-prefeito, José Humberto não se afastou da vida política do município. Neste período José Humberto foi membro do Conselho Curador da FEPAM – Fundação Educacional de Patos de Minas, mantenedora do Centro Universitário / UNIPAM.

Em 2006 José Humberto fez a sua primeira tentativa para se eleger Deputado Federal, pelo PPS – Partido Popular Socialista. Não foi eleito, mas sua votação foi suficiente para lhe posicionar como Suplente, e ao final da legislatura chegou a assumir o cargo, por um breve período de tempo.

Em 2007, José Humberto foi contratado pela Prefeitura de Parauapebas, município situado na Serra dos Carajás, estado do Pará, para a implantação de um novo código tributário municipal, reorganização da Secretaria da Fazenda, instalação de sistema de informação e gestão tributária.

Em março de 2008, com o trabalho concluído, retornou a Patos de Minas, de onde sua família nunca saiu.

Em 2008, disputou mais uma vez as eleições para Prefeito Municipal, e foi derrotado.

De 2009 a 2010, José Humberto prestou serviços de consultoria administrativa a empresas particulares, e exerceu o cargo de Secretário Municipal de Administração e Fazenda do município de Tiros-MG.

DEPUTADO FEDERAL

Em 2009 José Humberto filiou-se ao PHS – Partido Humanista da Solidariedade, e foi eleito Deputado Federal nas eleições de 2010, com 51.824 votos.

No exercício de seu mandato, durante a legislatura 2011-2014, José Humberto realizou intenso trabalho, se dedicando à função legislativa, procurando fortalecer politicamente a região representada, e garantindo através de emendas orçamentárias investimentos e benefícios para todos os municípios da região.

Confira aqui alguns do projetos que foram destaques de sua atuação parlamentar.

Ao concluir o seu mandato de deputado, José Humberto retornou mais uma vez à atividade privada, e constituiu empresa própria de consultoria, a JHS e Associados – Gestão de Negócios.
Através de sua empresa, José Humberto prestou serviços de apoio administrativos a empresas de Belo Horizonte, de 2015 a 2016.

No período entre o final de 2015 até fevereiro de 2017, José Humberto também foi Assessor Parlamentar da Assembleia Legislativa de MG, a convite do partido PSD – Partido Social Democrático.

Em março de 2017, José Humberto foi convidado a ingressar na empresa Telecomunicações Brasileiras S.A. – TELEBRAS, e exerceu até março de 2018 a função de Gerente de Governança, sendo nesta empresa o responsável pela coordenação das áreas de Planejamento Estratégico, Processos, Gestão de Riscos, e Governança Corporativa.